terça-feira, 30 de outubro de 2007

Origem da Terra

Origem da Terra
Formação da Terra:Ela nasceu junto com os outros planetas do Sistema Solar, com a junção de vários blocos de pedra que foram atraídos por uma imensa nuvem de gás e poeira um milhão de vezes maior, o futuro Sol.Pela forca da gravidade a Terra exerceu uma translação em torno do futuro Sol e tornou-se mais esférica.











Formação da crosta terrestre:
Há cerca de 4 bilhões e 600 milhões de anos, o planeta Terra era muito quente, como se fosse uma bola de lava e fogo, não possuindo forma de vida alguma,havia só uma fina atmosfera de gases venenosos e lava, basicamente. Então naquela época muitos cometas evadiam a sua superfície. Com o decorrer do tempo, o planeta foi lentamente esfriado, originando uma camada rochosa, porem fina e esburacada, em toda sua superfície (a crosta terrestre ou litosfera).











A atmosfera e a hidrosfera:
Durante o esfriamento da Terra, desprendeu-se dela uma grande quantidade de gases (dióxido de carbono, e amoníaco) e vapores de água. Os gases formaram nossa segunda atmosfera (100 vezes mais densa do que hoje), enquanto os vapores de água subiram para a atmosfera e formaram nuvens, que geraram chuvas constantes, limpando os antigos e hostis gases da atmosfera, alem de originar nos grandes declives da Terra os oceanos.Com os vapores de água também surge a hidrosfera, que é toda a camada de água do planeta Terra, seja ela liquida gasosa ou sólida, ou seja, são todos os atuais71% do nosso planeta que é água.
Origem da Vida e do oxigênio na Terra:
As primeiras formas de vida terrestres se desenvolveram nos oceanos, eram elas: as bactérias e algas primitivas. Microrganismos que surgiram por volta de 3 bilhões e 500 milhões de anos,com uma única célula, que realizava fotossíntese (converte dióxido de carbono em gás oxigênio) que mais tarde se dividiu-se e originou outros seres vivos.
Com seres vivos se multiplicando na Terra, e todos realizando fotossíntese, o dióxido carbono começa a se converter em oxigênio, estando o oxigênio livre na atmosfera reagindo com o amoníaco, foi liberado azoto, simultaneamente as bactérias também iniciaram a conversão do amoníaco em azoto assim acrescentando a atmosfera mais um gases essenciais para a vida, alem de diminuir gases prejudiciais.
Camadas internas da Terra
Núcleo ou Barisfera: é a camada mais interna da Terra, lá a pressão e o calor é tanto que tudo é líquido, inclusive os metais, o interessante é que quanto mais longe os metais do núcleo mais eles se solidificam.
Manto ou Pirosfera: é a segunda camada mais interna da Terra, no manto tudo se encontra em um estado pastoso e quente (chega ate 1500 graus), e é lá onde se desenvolve o magma (lava), que sobre pressão chega ate a crosta terrestre através dos vulcões.
Crosta terrestre ou litosfera: é toda a espessura sólida da Terra, acima do manto e a baixo da biosfera, ou seja, é a terra que pisamos, onde estão as plantas e animais terrestres.
A origem da vida
O planeta Terra formou-se há cerca de 4,6 bilhões de anos. Sua aparência inicial era completamente diferente da aparência que tem hoje. Não havia nele qualquer tipo de ser vivo.
Supõe-se hoje, através do estudo de fósseis, que os primeiros seres vivos surgiram provavelmente há cerca de 3,5 bilhões de anos.
Ao longo dos tempos, várias hipóteses foram elaboradas na tentativa de responder como os planetas apareceram - como a hipótese da geração espontânea, a hipótese extraterrestre entre outras.A hipótese da geração espontânea
Até o século XIX, imaginava-se que os seres vivos poderiam surgir não só a partir da reprodução de seres preexistentes, mas também a partir de matéria sem vida, de uma forma espontânea. Essa idéia, proposta há mais de 2.000 anos por Aristóteles, filósofo grego, é conhecida como geração espontânea.
Segundo aqueles que acreditavam na geração espontânea, determinados objetos poderiam conter um “princípio ativo”, isto é, uma espécie de “força” capaz de transformá-los em seres vivos.
Através da geração espontânea, explicava-se, por exemplo, o aparecimento de vermes no intestino humano, como a lombriga, ou o surgimento de ”vermes” no lixo ou na carne em putrefação.
Logicamente, quem assim pensava desconhecia o ciclo de vida de uma lombriga ou uma de mosca. Hoje, sabe-se que as lombrigas surgem no intestino humano a partir da ingestão de água e de alimentos contaminados por ovos fecundados de lombrigas preexistentes. Sabe-se também que os “vermes” que podem aparecer no lixo e na carne em decomposição são, na verdade, larvas de moscas que se desenvolvem a partir de ovos depositados nesses materiais por moscas fecundadas.
A hipótese extraterrestre
Svante Arrhenius (1859-1927), um físico e químico sueco, supunha que, em épocas passadas, poeiras espaciais e meteoritos caíram em nosso planeta trazendo certos tipos de microrganismos, provavelmente semelhantes a bactérias. Esses microrganismos, então, foram se reproduzindo, dando origem à vida na Terra.












Algumas rochas e minerais.
Rocha é um agregado natural composto de alguns minerais ou de um único mineral, podendo ou não conter vidro (o vidro não é considerado um mineral). Para além disso, para ser considerada como uma rocha esse agregado tem que ter representatividade à escala cartográfica (ter volume suficiente) e ocorrer repetidamente no espaço e no tempo, ou seja o fenômeno geológico que forma a rocha ser suficientemente importante na história geológica para se dizer que faz parte da dinâmica da Terra.
As rochas podem ser classificadas de acordo com sua composição química, sua forma estrutural, ou sua textura, sendo mais comum classificá-las de acordo com os processos de sua formação. Pelas suas origens ou maneiras como foram formadas, as rochas são classificadas como ígneas, sedimentares, e rochas metamórficas. As rochas magmáticas foram formadas de magma, as sedimentares pela deposição de sedimentos e posterior compressão destes, e as rochas metamórficas por qualquer uma das primeiras duas categorias e posteriormente modificadas pelos efeitos de temperatura e pressão. Nos casos onde o material orgânico deixa uma impressão na rocha, o resultado é conhecido como fóssil.
Em geologia, chamam-se rochas metamórficas àquelas que são formadas por transformações físicas e químicas sofridas por outras rochas, quando submetidas ao calor e à pressão do interior da Terra, num processo denominado metamorfismo.
As rochas metamórficas são os produtos da transformação de qualquer tipo de rocha levada a um ambiente onde as condições físicas (pressão, temperatura) são muito distintas daquelas onde a rocha se formou. Nestes ambientes, os minerais podem se tornar instáveis e reagir formando outros minerais, estáveis nas condições vigentes. Não apenas as rochas sedimentares ou ígneas podem sofrer metamorfismo, as próprias rochas metamórficas também podem, gerando uma nova rocha metamorfizada com diferente composição química e/ou física da rocha inicial Rocha ígnea, rocha magmática ou rocha eruptiva é um tipo de rocha que resultou da consolidação devida a resfriamento de magma derretido ou parcialmente derretido.
ROCHAS SEDIMENTARES
DEFINIÇÃO
As rochas incluídas nesse grupo são as que se formaram tanto pela atividade mecânica como química dos agentes do intemperismo, sobre rochas pré-existentes. Elas são o acumulo do produto da decomposição e desintegração de todas as rochas presentes na Crosta da Terra. Muitas vezes, esses produtos da decomposição ou desintegração são deixados no próprio local em que se deram as transformações. Porém, normalmente são transportados pelo vento ou pela água e depositados em regiões mais baixas, nos continentes ou no fundo dos mares. Quando a água é o agente de transporte, o material carregado em suspensão é depositado, quando a velocidade de transporte do meio diminui. Os materiais dissolvidos são, ou precipitados diretamente por efeito de mudança nas condições físico-químicas do meio, ou indiretamente, pela atividade vital de animais e plantas. As rochas sedimentares, também denominadas secundárias ou exógenas, tendo se formado sob condições diversas, podem mostrar grandes variações em sua composição mineralógica e química, como também em sua textura
. Utilidade das rochasAs rochas representam bens minerais de grande importância para a humanidade. São utilizadas das mais diversas formas, como por exemplo, nas áreas de construção civil, rocha ornamental, brita, etc.















Cadeia Alimentar
O que é Cadeia Alimentar?Uma cadeia alimentar é uma seqüência de seres vivos, uns servindo de alimento a outros, sucessivamente. Resumindo um seqüência de transferências de matéria e energia de um organismo para outro sob a forma de alimento.Componentes de uma Cadeia AlimentarOs diferentes elementos vivos que compõem um ecossistema cumprem papéis específicos dentro da cadeia alimentar. Uma cadeia alimentar tem elementos básicos como:
Produtores - São sempre seres autótrofos (que produzem seu próprio alimento), produzem alimento que será usado na cadeia e são obrigatoriamente a base de qualquer cadeia alimentar. A energia transformada a partir da luz solar e do gás carbônico (fotossíntese) será repassada a todos os outros componentes restantes da cadeia ecológica. Os principais produtores conhecidos são as plantas e algas microscópicas (fito plâncton).
Consumidores - São os organismos que necessitam de se alimentar de outros organismos para obter a energia, uma vez que são incapazes de produzir seu próprio alimento. Alimentam-se dos seres autótrofos e de outros heterótrofos, podendo ser consumidores primários quando se alimentam de seres autótrofos; consumidores secundários, consumidores terciários e assim por diante quando se alimentam de outros consumidores. Como exemplo, os herbívoros e carnívoros.
É bom lembrar que nem toda a energia obtida através da alimentação será integralmente usada, parte dessa energia não será absorvida e será eliminada com as fezes e outra parte será perdida em forma de calor. Assim, grande parte da energia será dissipada no decorrer de uma cadeia alimentar diminuindo sempre a cada nível. Pode-se então dizer que o fluxo de energia num ecossistema é unidirecional começando sempre com a luz solar incidindo sobre os produtores e diminuindo a cada nível alimentar dos consumidores.
Decompositores - São organismos que atuam na transformação da matéria orgânica em matéria inorgânica, reduzindo compostos complexos em moléculas simples, fazendo com que estes compostos retornem ao solo para serem utilizados novamente por outro produtor, gerando uma nova cadeia alimentar. Os decompositores mais importantes são bactérias e fungos. Por se alimentarem de matéria em decomposição são considerados saprófitos ou sapróvoros.
O equilíbrio do ecossistema depende da realização de cada uma das etapas da cadeia alimentar. A drástica redução dos animais predadores, por exemplo, pode resultar na proliferação dos animais herbívoros e, com isso, na escassez ou extinção de algumas espécies vegetais.
Importância de se conhecer as Cadeias Alimentares
A observação de cadeia alimentar leva ao entendimento de toda a seqüência de alimentação dos animais que vivem em determinado ecossistema. Pode-se também examinar o conteúdo estomacal de animais e assim perceber essa seqüência. A importância disto está baseada no uso natural de animais ou plantas que possam controlar ou equilibrar o ecossistema de forma a evitar o uso de pesticidas e quaisquer outras formas artificiais que possam desequilibrar em longo prazo o ambiente, ou ainda. Mais ainda, esses animais pertencem a cadeias alimentares diversas, e se posicionam em diferentes níveis tróficos.
Com esses comentários, podemos definir teia alimentar como uma reunião de cadeias alimentares. Ou, de outro modo, teia alimentar é o fluxo de matéria e energia que passa, num ecossistema, dos produtores aos consumidores por numerosos caminhos opcionais que se cruzam (ou seja, várias cadeias que se interligam). A teia alimentar representa o máximo de relações entre os componentes de uma comunidade.








Teia Alimentar
Como já abordamos o tema cadeia alimentar, podemos fechar esse tópico complementando-o com o conceito de teia alimentar.Vimos como os animais e plantas podem fazer parte de uma cadeia alimentar. Porém, tais seres vivos não participam necessariamente de apenas uma cadeia, podendo pertencer, simultaneamente, a mais de uma. Aliás, essa é a situação mais verificadaA Terra é até agora para nós o único planeta que oferece condições fundamentais de vida, alem de ser nossa casa e nossa fonte de alimentos e entretenimento. Por isso a estudaremos.







SOLO:Parte superficial da Terra, formada pelo acúmulo de material inconsolidado originado do intemperismo das rochas. Para os geólogos o termo compreende tanto o material superficial como o subsolo formado por rocha em vias de alteração. A rigor, seria melhor usar o termo regolito, que abrangeria tanto o solo como o subsolo. Para os estudiosos do solo (pedólogos) o subsolo recebe a classificação de horizonte C, sendo o solo propriamente dito dividido em horizonte .A, mais superficial e B, mais profundo. O horizonte A contêm muita matéria orgânica e é muito lixiviado, ao passo que no horizonte B ocorre acúmulo de sais lixiviados, e finas partículas minerais, principalmente argila. Vê-se que para os geólogos o conceito de solo é mais extenso do que para os agrônomos, pois para estes, um solo interessa pela sua capacidade em suportar vegetais. Do ponto de vista do acúmulo de água subterrânea, bem como da engenharia civil, é mais útil o termo tal como é usado pelos geólogos.






Artigo principal: Água (molécula)A água tem o meaning químico da fórmula H2O que uma molécula da água está composta de dois átomos do hidrogênio e de um átomo de oxigênio







Sólido-é quando a água esta na forma de gelo.num material sólido,as moléculas ficam bem juntinhas,mais se atraem, e mais mantém em mesma posição.Seu movimento explica-se a uma ligeira vibração.
Líquido-Água dos rios,lagos,mares e represas são exemplos de água liquida.num material liquido, as moléculas estão mais distantes e se atraem menos.Favorecendo ás moléculas se movimentam com maior velocidade do que o sólido.
Gasoso- Tampa da panela após cozinhar.Num material gasoso,as moléculas se movimentam muito rápido e desordenadamente.Isso faz que as moléculas se distanciam ocupando todo o espaço possível
Fusão-é a passagem da água da fase sólida para a líquida.
Solidificação- é a mudança da água da fase líquida para a sólida.
Vaporização-passagem da fase líquida para a gasosa.
Ebulição-Rápida vaporização
Evaporação- lenta vaporizaçãoCondensação-passagem da fase gasosa para líquida.
Ciclo da água





Nenhum comentário: